jusbrasil.com.br
21 de Maio de 2019

A OAB não tem Autoridade Moral para falar em nome da Advocacia

Em primeiro lugar ela precisa aprender a respeitar o Advogado

Paulo Antonio Papini, Advogado
Publicado por Paulo Antonio Papini
há 3 meses

Sinceramente, meus caros, nossa coluna de hoje está eivada de indignação com o órgão de classe que deveria nos representar, melhor dizendo, respeitar todos os Advogados do Brasil, mas, infelizmente, não o faz.

Quem acompanha meu trabalho e minhas postagens em Redes Sociais/Jusbrasil/YouTube sabe que temos como uma das especialidades do escritório a defesa de Advogados no Tribunal de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil.

Pois bem, hoje ao retirar um processo em carga para a apresentação de memoriais eis que sou surpreendido com a obrigatoriedade de assinar um documento certificando que as 1190 páginas dos autos do processo foram conferidas na minha frente, e eu retirei o processo com 1190 páginas. Não acreditem em mim, vejam a foto abaixo:

Obviamente que a justificativa para tal medida seria a possibilidade de que eu sumisse com algum documento do processo. Detalhe, em 22 anos de Advocacia já devo ter feito carga de mais de 2.000 processos judiciais e nunca, absolutamente nunca, Juiz algum exigiu tal absurdo (e olha que temos uma coleção, das grandes, de sentenças absurdas para citar).

A pergunta que devemos fazer é: se a Ordem dos Advogados do Brasil não nos respeita, como podemos/devemos esperar que o Poder Judiciário ou Executivo o façam?

Como podemos criticar propostas, absurdas, abusivas, ilegais e inconstitucionais que volta e meia surgem do Executivo (Ministério da Justiça) de que as conversas entre Advogados e seus clientes nos parlatórios dos presídios devam ser gravadas? Ora, pela lógica interna da Ordem, se um Advogado é capaz de roubar folhas dos autos de um processo, também é extremamente provável que esse Advogado atue como pombo-correio do Crime Organizado.

Com que moral a Ordem pode criticar a (ao nosso ver) totalmente ilegal e abusiva invasão do escritório do Dr. Zanone (Advogado de Adélio Bispo de Oliveira) para descobrir quem pagou-lhe os honorários se ela, a própria Ordem, parte do pressuposto que seus membros (compulsórios membros, diga-se de passagem) são ladrões, melhor dizendo, furtadores de documentos públicos.

Por essa linha de raciocínio é totalmente razoável que um Magistrado presuma que o Advogado criminalista tem algum tipo de cumplicidade com seu cliente na atividade delituosa?

É lamentável. Não lamentável é pouco. Lamentável é o Presidente Federal usar seu cargo para emitir opiniões políticas em defesa de determinada corrente polític0-ideológica. Vejam bem, o problema não é o Presidente da Ordem ter uma visão política, o problema é ele manifestá-la como sendo a posição oficial da OAB.

Como dissemos, lamentável é pouco. É humilhante que a Ordem dos Advogados do Brasil trate seus afiliados como gado, como res, preocupando-se com os mesmos apenas e tão-somente na época das eleições.

Com efeito, existem hoje diversas associações de Advogados (de inscrição voluntária, como, por exemplo, AASP, IBCCRIM, ANACRIM, dentre outras) que representam melhor, mas infinitamente melhor a Advocacia.

A OAB hoje representa apenas alguns partidos de esquerda (e não é por acaso que um ex-presidente da Ordem assinou o polêmico HC em favor do Reeducando Lula da Silva, peça extremamente mal escrita, por sinal, ele - seguramente - reprovaria no exame da Ordem com aquela petição). Sim, há muito tempo a OAB transformou-se em puxadinho do PT e PSOL e esqueceu das verdadeiras necessidades e anseios da Advocacia. Sendo assim, seria melhor para ela própria e - principalmente - para os Advogados que esta entidade parasse de falar em nome da Classe.

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Caro Dr. Paulo Papini,

Subscrevo esse texto que tão bem reflete os anseios da verdadeira advocacia. Há muito critico a postura da OAB, principalmente a minha seccional, que como citado só veem a importância do advogado em época das eleições, e principalmente quando chega aquele famigerado boleto que nos torna, além de membros compulsórios, os verdadeiros mantenedores da engrenagem da Instituição. continuar lendo

Se ele pensa assim, em completa oposição à maioria dos associados, deveria guardar para si e não falar como se a "categoria" toda tivesse a mesma opinião. Perdeu uma grande oportunidade de ficar calado e, pelo menos com isso, mostraria uma certa dignidade. Ele é apenas um elemento que foi colocado lá por profissionais que acreditaram que estariam bem representados. Ledo engano.....PT saudações.... continuar lendo

Concordo com seu texto. Temos um presidente partidário e militante, que não está representando os advogados, apenas, se utilizando deles. continuar lendo

Nos moldes do relato, é um absurdo a medida. continuar lendo